Página inicial.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Encerro.

Não sei o que te dá.
Na metade de mim, 
Que me trazias, enfim,
Votos mal feitos, imperfeitos,
Quando em hora, ainda, me ignoras...
E, o quê me dá?

Meu prazer que desafinava,
Diante dessa Bossa Nova linda,
Que insistentemente, se posicionava. 
Nesta música que zumbi. 
Com tom, ás vezes fúnebre,
Que tinha voz, mas não se ouvia.

E que destoava sua afinação,
Em meu íntimo, das mágoas, infinito...
Entre modos subjetivamente peculiares, 
Iguais os de antes, 
Tão como seu jeito de demonstrar,
Único e irrelevante.

Logo me livrando,
Desse teu mundo sistemático e irônico,
Do "amor" que era platônico.
Que iludia, e ainda, pouco perturba...
Me deixava calvo,
Em outro espaço, outra rua.
E como tal, doía.

Proporcionalmente, 
Em um intervalo de tempo, 
Tudo tomaria nova frequência.
Faria resplandecer nova paciência...
Sem que eu estivesse assim,  me recuado.
Para que nada agisse contra o vento,
"Agradáveis"/"inválidos"/"perfeitos" momentos.
Isto é, se tu não tivesses me desligado...
Como estes próprios versos, 
Que hoje aqui, sobre você, eu encerro.


Tatiane Salles.

15 comentários:

  1. Um the end como um mar calmo e com águas mornas.
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um the end que nasce do profundo...

      Obrigada pela visita, querida!

      Grande abraço, Tati.

      Att.

      Excluir
  2. Não me perguntes a mim
    Não te saberei responder
    Encerro ser fim
    Saudades, as não esquecer

    Prazeres que desafinam
    Desejos que fazem vibrar
    Amores que não atinam
    Por não se saber amar!

    Boa noite para você.
    Um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Edu, você é sem comentários... :D

      Obrigada pela visita e por todo carinho.
      Abraço, Tati.

      Att.

      Excluir
  3. Siempre es grato leerte, abrazos miles!
    Bonito jueves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracias, Cris.
      Volte siempre.

      Abrazos miles, Tati.

      Att.

      Excluir
  4. Sobre você, eu encerro... Tudo aquilo que queria dizer, mais não foi dito. Porque seu poetizar é tão bonito! Valeu amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! =D
      Pelo elogio e pelo carinho da visita.
      Volte sempre!
      Abraço, Tati.

      Att.

      Excluir
  5. Menina! É maravilhoso saber poetar.... Ter este dom nato, como você.... Pois eu creio que isto não se aprende, alguma que outra técnica até pode ser.... Mas o dom, que brota da alma e encanta quem lê, são poucos e raros! Parabéns!Um abençoado sábado, repleto de muita paz e alegria! Grande e carinhoso abraço!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine, você não sabe a felicidade que eu tenho em ler o que você me escreveu. Obrigada! Pelos elogios e por todo carinho que me transmite. =]
      Agradeço também o carinho da visita. Um abraço, Tati.

      Att.

      Excluir
  6. Encerrar
    E
    Novamente tecer palavras para formar poemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Encerrar e começar, começar e encerrar. E assim, continuemos.

      Abraço, obrigada pela visita.
      Tati.

      Att.

      Excluir
  7. Encerrar, para poder recomeçar, isso é sempre maravilhoso.

    Tenho tantas palavras em minha mente, só não consigo colocar no papel, tão primorosamente, como você faz, parabéns!!!!

    Te desejo um maravilhoso e abençoado final de semana.
    Beijinhos de uvas.
    Lua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuemos... ;*

      Agradeço seus elogios, Lua. Eles são de maior importância pra mim. Obrigada mesmo, de verdade!
      Um ótimo final de semana pra você também, minha querida!
      Um abraço, Tati.

      Att.

      Excluir

Seu comentário é um combustível pra mim. É o medidor da sua satisfação e me satisfaz também. Comente, esse é o CANTINHO de todos nós. Obrigada!

Seja bem vindo, volte sempre! =)